Sesc traz filmes alemães, africanos e indígenas para ver em casa

Transtorno Explosivo de Nora Fingscheidt
Transtorno Explosivo de Nora Fingscheidt (foto: divulgação)

A seleção de cinema #EmCasaComSesc traz diversas estreias esta semana para assistir gratuitamente. A novidade é a Mostra Alemã de Cinema: Elas Dirigem!, mas há novos títulos disponíveis no Cine África e no Ciclo de Autoria Indígena, mostras que já trouxeram outros títulos.

Mostra Alemã de Cinema

Disponível na plataforma do Sesc Digital de 3 a 6 de outubro (sábado a terça), Transtorno Explosivo, de Nora Fingscheidt, é o destaque da Mostra Alemã de Cinema: Elas Dirigem!. O filme conta a história de Benni, uma menina de 9 anos de difícil convívio, considerada uma destruidora de sistemas. Ela conhece Micha, um especialista em controle de raiva, que tenta ajudá-la. O filme venceu o Prêmio Alfred Bauer no Festival Internacional de Cinema de Berlim e o Prêmio de Melhor Filme do Júri na 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. A classificação indicativa é de 14 anos.

Publicidade

Outra estreia da semana dentro da Mostra Alemã de Cinema é Western, da cineasta Valeska Grisebach, que fala sobre um grupo de trabalhadores alemães da construção civil que inicia um trabalho difícil em um local remoto no interior da Bulgária. A terra estrangeira desperta o senso de aventura nos homens, mas eles também se deparam com os próprios preconceitos e desconfianças devido à barreira do idioma e às diferenças culturais. A classificação indicativa é de 12 anos.

A Mostra Alemã de Cinema: Elas Dirigem! é uma realização do Consulado Geral da  Alemanha em parceria com o Sesc São Paulo. Em comemoração aos 30 anos da Reunificação Alemã, a mostra apresenta, de 3 de outubro a 13 de novembro, sete premiados títulos dirigidos por mulheres.

Cada sábado, uma nova opção estará disponível gratuitamente e com legendas em português na plataforma Sesc Digital. Para assistir, basta acessar sescsp.org.br/cinemaemcasa.

Cine África

Nesta semana estreia também mais um título do projeto Cine África, que traz filmes de países como Burkina Faso, Camarões, Egito, Etiópia, Nigéria, Quênia, Senegal e Sudão.

O filme desta semana é o documentário queniano Lua Nova, de Philippa Ndisi-Herrmann. A cineasta embarca em uma espontânea jornada para entender os caminhos da sua própria fé. Nesse documentário, acompanhamos a diretora na descoberta de uma nova espiritualidade e no confronto às contradições e complexidades da religião que escolheu para si. O filme fica disponível de 1 a 7 de outubro, e a classificação indicativa é livre.

Ciclo de Autoria Indígena

Outras estreias da semana são A’E MIMIU HAW – A História dos Cantos e ZAWXIPERKWER KAA – Guardiões da Floresta, pelo Ciclo de Autoria Indígena.

O documentário A’E MIMIU HAW – A História dos Cantos, dirigido por Jamilson Guajajara, Pollyana Guajajara, Jacilda Guajajara e Lemilda Guajajara, apresenta o cantor Tachico Guajajara, que compartilha a história de como o seu povo aprendeu os cantos sagrados que regem seus rituais e festas.

ZAWXIPERKWER KAA – Guardiões da Floresta
Cena de ZAWXIPERKWER KAA – Guardiões da Floresta (foto: divulgação)

ZAWXIPERKWER KAA – Guardiões da Floresta, de Jocy Guajajara e Milson Guajajara conta em primeira pessoa como é ser membro do grupo “Guardiões da Floresta”, na Terra Indígena Caru (MA), onde vivem. Como cineastas, documentam as atividades do grupo nas missões de vigilância e proteção do território indígena.

Os dois filmes ficam disponíveis até 2 de novembro e tem a classificação indicativa livre.

Pelo Ciclo de Autoria Indígena, a cada mês, um filme ou seleção de filmes entra em cartaz na plataforma do Sesc Digital – Cinema #EmCasaComSesc e fica disponível ao público pelo período de 30 dias. São produções que ampliam olhares sobre a diversidade cultural, por meio de um cinema que se realiza nas e com as florestas, os cerrados, a natureza, o território, a cosmologia. Os filmes resultam de um intenso processo de apropriação tecnológica contemporânea a partir de matrizes culturais tradicionais que fazem do cinema um potente caminho para o fortalecimento cultural, fonte de expressão de diversas formas de ser e estar no mundo e de transmissão de saberes.

PROGRAMAÇÃO

MOSTRA ALEMÃ DE CINEMA: ELAS DIRIGEM!

De 3 a 6/10: TRANSTORNO EXPLOSIVO (Dir.: Nora Fingscheidt | Alemanha| 2019 | 119 min | Ficção | 16 anos): Ela é pequena, mas perigosa. Onde quer que Benni esteja, ela é imediatamente expulsa. A menina de 9 anos já se tornou o que os serviços de proteção infantil chamam de “destruidora de sistemas”, e ela não está pensando em mudar. Benni tem um único objetivo: voltar para casa e ficar ao lado de sua mãe, mas Bianca tem medo da própria filha. A assistente social está tentando ao máximo encontrar uma vaga em alguma instituição permanente para Benni, e contrata Micha, um especialista em controle de raiva para ajudá-la. De repente, há uma semente de esperança. Micha será capaz de ter sucesso onde todos falharam? Vencedor do Prêmio de contribuição artística Alfred Bauer no Festival de Berlim e do Prêmio de Melhor Filme pelo Júri da 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

De 3 a 9/10: WESTERN (Dir.: Valeska Grisebach | Alemanha, Bulgária, Áustria | 2017 | 121 min | Ficção | 12 anos): Um grupo de trabalhadores alemães da construção civil inicia um trabalho difícil em um local remoto no interior da Bulgária. A terra estrangeira desperta o senso de aventura nos homens, mas eles também se deparam com os próprios preconceitos e desconfianças devido à barreira do idioma e às diferenças culturais. O cenário é rapidamente armado para um confronto quando os homens começam a competir pelo reconhecimento e favorecimento dos aldeões locais.

CINE ÁFRICA

De 1 a 7/10: LUA NOVA (Dir.: Philippa Ndisi-Herrmann | Quênia | 2018 | 70 min | Documentário | Livre): A cineasta Philippa Ndisi-Herrmann embarca em uma espontânea jornada para entender os caminhos da sua própria fé. Neste documentário, acompanhamos a diretora na descoberta de uma nova espiritualidade e no confronto às contradições e complexidades da religião que escolheu para si.

CICLO DE AUTORIA INDÍGENA

Até 2/11: A’E MIMIU HAW – A HISTÓRIA DOS CANTOS (Dir.: Jamilson Guajajara, Pollyana Guajajara, Jacilda Guajajara, Lemilda Guajajara | Maranhão | Cor | 27 min | 2019 | Documentário | Livre): O cantor Tachico Guajajara compartilha a história de como o seu povo aprendeu os cantos sagrados que regem seus rituais e festas.

Até 2/11: ZAWXIPERKWER KAA – GUARDIÕES DA FLORESTA (Dir.: Jocy Guajajara, Milson Guajajara | Maranhão | Cor | 52 min | 2019 | Documentário | Livre): Jocy e Milson Guajajara são membros do grupo “Guardiões da Floresta” na Terra Indígena Caru (MA), onde vivem. Como cineastas, documentam as atividades do grupo nas missões de vigilância e proteção do território indígena.

Deixe um comentário