Museu Prudente de Moraes

    Museu Prudente de Moraes

    O Museu Histórico e Pedagógico Prudente de Moraes ajuda a contar a história da formação da República brasileira. Está instalado no casarão que por três décadas serviu de moradia a Prudente de Moraes, terceiro presidente do país e o primeiro civil a ocupar o cargo. Assim, o museu abriga um amplo acervo que resgata tanto a história do ex-presidente como de outros políticos piracicabanos influentes na transição dos séculos 19 e 20, e também de outros moradores da cidade.

    O casarão

    Fachada do Museu Prudente de Moraes
    Fachada do Museu na rua Santo Antônio (Foto: divulgação).

    Publicidade

    O imóvel onde está instalado o museu, no Centro de Piracicaba, foi moradia de Prudente de Moraes de 1870 até 1902, ano de sua morte. A construção reúne duas casas integradas, já que o ex-presidente usou ali como residência e também escritório de advocacia anexo.
    Posteriormente, a casa serviu de sede da Faculdade de Odontologia Washington Luiz (que mais tarde passou a se chamar Prudente de Moraes) e abrigou o Grupo Escolar Dr. Prudente, até finalmente se tornar Museu em 1957. Por causa de seu valor histórico e cultural, hoje, o imóvel é tombado no município pelo Codepac, no estado de São Paulo pelo Condephaat e no país pelo Iphan.

    O acervo

    O nome do ex-presidente pode iludir quem tratar-se de um espaço reservado apenas à sua memória. Esta é, na verdade, uma das características mais importantes do museu, mas há muito mais.

    Museu Prudente de Moraes
    Museu Prudente de Moraes (Foto: divulgação)

    Objetos e documentos da época ajudam a compreender a história de Piracicaba e também dos primeiros anos da República. São cerca de 6 mil peças, entre mobiliário e objetos variados, que pertenceram a membros da elite piracicabana que na época tinham muita influência política no país. É o caso de personagens como Luiz de Queiroz, João Sampaio, Barões de Serra Negra e de Rezende, Sud Mennucci, Cobrinha e Fabiano Lozano, além do próprio Prudente de Moraes.

    Vale lembrar que os grandes barões do café foram a principal força econômica e política na derrubada do império e instalação da República. É a este poderoso grupo que esta parte da história se refere.

    O acervo também reúne obras de artistas plásticos piracicabanos, além de material iconográfico e textual.

    Você pode ver algumas imagens do acervo aqui

    Quem foi Prudente de Moraes

    Presidente Prudente de Moraes
    Prudente de Moraes na década de 1860. Acervo do Museu, autoria desconhecida.

    Influente político paulista, Prudente de Moraes foi o terceiro presidente da República, sendo o primeiro eleito pelo voto direto e o primeiro civil. Era ligado à oligarquia cafeeira que passou a comandar o país no final do século XIX com o fim da monarquia e a proclamação da República.

    O político e advogado nasceu em Itu e se mudou para Piracicaba no final da década de 1960. Foi presidente de São Paulo (equivalente a governador) de dezembro de 1989 a outubro de 1990, quando deixou o cargo para ser Senador. Foi presidente do Senado de 1891 a 1994 e presidente da República de 1894 a 1898.

    Foi o seu governo que enviou tropas do Exército para combater a população do vilarejo de Canudos na Bahia que seguia o religioso Antonio Conselheiro. Foram enviadas quatro expedições militares, a última com mais de 15 mil homens e pesados armamentos. O resultado foi a destruição total do vilarejo e a morte de todos os seus moradores, estimados em cerca de 25 mil pessoas.

    O governo de Prudente de Moraes foi bastante conturbado. Havia uma grande disputa entre dois grupos: os militares que comandaram a instalação da República e fizeram os dois primeiros presidentes: os marechais Deodoro da Fonseca (1889-1891) e Floriano Peixoto (1891-1894). Prudente de Moraes sofreu um atentado em 1987 e escapou ileso, mas seu ministro da Guerra, Marechal Bittencourt, foi assassinado.

    De volta à Piracicaba após encerrar seu mandato, Prudente de Moraes morreu quatro anos depois, em 1902, vítima de tuberculose. Seu corpo foi sepultado num mausoléu no Cemitério da Saudade.

    Serviço

    Horário de funcionamento:
    De terças a sextas-feiras das 9h às 17h.
    Sábados e feriados das 10h às 14h.
    Dias em que o museu permanece fechado: 
    Segundas-Feiras ; Confraternização Universal (01/01); Eleições; Natal (25/12)
    Fone: 19 3422-3069

    Museu Prudente de Moraes
    R. Santo Antônio, 641, Piracicaba - SP

    Próximos eventos neste local

  • Nenhum evento nesse local.

  • DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor, digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome